Confirmada parceria com o IPHAN para "Jornadas do Patrimônio": cursos com grandes mestres estrangeiros na preservação do patrimônio arquitetônico e urbano.

O MP-CECRE acaba de firmar uma parceria com o IPHAN para promover "Jornadas de Patrimônio" de uma semana, no Rio de Janeiro e em Salvador, com palestras e minicursos com grandes mestres estrangeiros no ensino e na prática de intervenção arquitetônicas que afetam o patrimônio edificado e urbano de interesse cultural.

O MP-CECRE ficou na incumbência de indicar os nomes dos professores convidados a contribuírem com essas jornadas.

Já o IPHAN, através do Centro Lúcio Costa e do PEP (Mestrado Profissional em Preservação do Patrimônio Cultural), patrocinará as passagens, seis diárias para cobrir as despesas no Brasil – e um pro-labore no valor de U$ 1500,00.

A jornada, definida pelo IPHAN é a seguinte:

Domingo: chegada ao Rio

  • 2ª feira: participação na Jornada no Palácio Capanema - Rio de Janeiro
  • 3ª feira: deslocamento para Salvador
  • 4º, 5ª e 6ª feiras: participação nas atividades do CECRE (3 dias de pró labore, no valor de 500 dólares/dia)

Sábado: viagem de retorno ao país de origem.

No Rio de Janeiro, as jornadas técnicas têm a duração de um dia, com a participação de professores brasileiros e estrangeiros e estão articuladas com o Mestrado Profissional do IPHAN (PEP-MP). São especialmente voltadas para os servidores do IPHAN, mas podem também contar com outros participantes, e visam contribuir para melhorar suas habilidades para a atuação no campo da preservação do patrimônio cultural.

Considerando a parceria entre IPHAN e CECRE, serão organizando 4 jornadas (uma em junho, uma em julho e duas em agosto de 2017, sempre em um mesmo dia da semana) com apresentações dos professores estrangeiros na parte da manhã e dos brasileiros na parte da tarde convidados para apresentar casos que espelhem procedimentos e conceitos representativos dos problemas enfrentados no Brasil.

As apresentações dos estrangeiros ocorrerão nas dependências do Centro Lucio Costa/DAF-IPHAN, na cidade do Rio de Janeiro, com transmissão por videoconferência para todas as superintendências do IPHAN, onde se encontra a maioria do público alvo dessas jornadas e que por nossas limitações orçamentárias não podem participar presencialmente das Jornadas."

No caso da participação dos professores estrangeiros no MP-CECRE, será um curso intensivo de pelo menos 16 horas de duração, distribuído em três dias, vinculado preferencialmente à área de projeto, tecnologia ou gestão da conservação e do restauro – a combinar com o professor (cursos também abertos ao Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da UFBA). O professor também apoiará o Ateliê de Projeto III: Projeto de Intervenção em Edifícios, Conjuntos e Sítios Históricos, em pelo menos um turno de orientações dos Trabalhos Finais dos alunos do MP-CECRE.

As datas e os convidados já estão confirmados:

 

Entre os dias 25 de junho e 01 de julho de 2017:

Professor João Mascarenhas Mateus – Lisboa, Portugal

Investigador Principal (Investigador FCT), CIAUD – Centro de Investigação em Arquitetura, Urbanismo e Design – Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa, desde 2015.

Depois da Licenciatura em Engenharia Civil no IST, fez o Mestrado em Ciências da Arquitetura na Katholieke Universiteit Leuven, Bélgica onde trabalhou como assistente de investigação (1993-1995).

Perito da Direção de Cultura da Comissão Europeia entre 1993 e 1998 para avaliação de Projetos de Conservação e Restauro do Património Cultural. Realizou na Universidade La Sapienza de Roma – Itália a investigação de doutoramento sobre a utilização de técnicas tradicionais de construção de edifícios de alvenaria na atividade da conservação arquitetônica.

Em Roma, projetou e dirigiu os trabalhos de conservação do Instituto Português e do Pontifício Colégio Português. Doutorado em Engenharia Civil pelo IST (2001). "Cultore della materia" na Faculdade de Arquitectura Valle Giulia da Univ. La Sapienza de Roma (2002-2004) e colaborador científico da "Scuola di Specializzazione in Conservazione dei Monumenti" da mesma Universidade, desde 2002.

Foi coordenador técnico da candidatura da Baixa Pombalina à Lista do Património Mundial (2003-2006). Investigador auxiliar (investigador FCT Programa Compromisso Ciência), de 2009 a 2014, no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra.

Organizou em 2010 a Primeira Conferência sobre História da Construção em Portugal e foi um dos coordenadores do I Congresso da História da Construção Luso-Brasileira (2013). Fundador e vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Estudos de História da Construção, 2015.

 

Entre os dias 23 e 29 de julho de 2017:

Professora Maria Margarita Segarra Lagunes (natural do México) – Roma, Itália

Nascida na Cidade do México, lá se formou em arquitetura em 1985. Logo se mudou para Roma onde vive até hoje.

Frequentou o l’Architectural Conservation Course ARC’85 e o Curso Conservation Préventive dans les Musées CPM’85, junto ao ICCROM (International Centre for the Study of the Preservation and Restoration of Cultural Property)

Fez Doutorado em Storia dell’Architettura ed il Restauro e la Conservazione del Patrimonio Storico-Architettonico da Università di Roma Tre. Está envolvida em várias pesquisas e projetos científicos relacionados com a História da Arquitetura e Restauro do Património Histórico e Arquitetônico, documentadas por uma extensa produção editorial.

É professora de Restauração de Monumentos na Faculdade de Arquitetura da Universidade Roma Tre, onde ensina temas de restauração na Europa e em outros lugares, bem como o ateliê de restauração dentro do curso de Ciência Arquitetural.

Coordena o Master iIternazionale de Segundo Nível, Architettura | Storia | Progetto e, nesse, dirige o módulo Cultura del Progetto in Ambito Archeologico.

Com M. Manieri Elia, trabalhou em projetos de restauração significativos de edifícios históricos e sítios arqueológicos, incluindo: o Museo Civico di Nocera Umbra, o Museo Regionale della Ceramica Umbra em Deruta, o complexo do " Cento Camerelle " em Villa Adriana, o M useo del Laterizio e della Terracotta em Marsciano

Projetou e dirigiu a restauração da Rocca Pia e o Anfiteatro Romano Bleso em Tivoli. Com F. Cellini ganhou o primeiro prêmio no concurso de design para a renovação do Teatro romano di Spoleto (2005); também conquistou primeiro prêmio no projeto para Requalificação do Mausoléu de Augusto e Piazza Augusto Imperatore, em Roma (2006); outro concurso vencido foi o da requalificação da Porta Nuova, no centro histórico di Marsala (2009).

Em 2012 venceu, com Francesco Cellini, o concurso para a sistematização do Transfer Point Yenikapi, no sítio do antigo Porto di Teodosio em Istanbul.

Tem mais de cem publicações sobre a história e restauração de monumentos, incluindo o livro "Il Tevere e Roma. Storia di una simbiosi " (Roma, 2004).

 

Entre os dias 06 e 12 de agosto de 2017:

Professor Claudio Varagnoli – Pescara, Itália

Arquiteto pela Facoltà di Architettura da Università degli Studi di Roma “La Sapienza” (1982) e Doutor em Conservazione dei beni architettonici pela Università degli Studi di Roma “La Sapienza” (1987).

Desde 1990 desenvolve atividades de ensino e pesquisa na área de restauro junto à Facoltà di Architettura di Pescara da Università degli Studi “G. d’Annunzio” Chieti-Pescara e, desde 2001, é Professor Titular de Restauro da mesma instituição.

Desde 2001, é coordenador do Doutorado em Conservazione dei Beni architettonici e, desde 2004, do Mestrado em Conservazione e Recupero dell’Edilizia Storica, ambos junto à Università degli Studi “G. d’Annunzio” Chieti-Pescara. Desde 2013, é Professor da Escola Arqueológica Italiana de Atenas, Grécia.

Participou de diversos projetos de restauração, como as obras em mármore do Foro Italico em Roma e o plano de recuperação de Sora, bem como de concursos de projeto. É autor de diversos ensaios sobre projetistas, edifícios, canteiros e intervenções urbanísticas, com especial atenção ao debate arquitetônico contemporâneo.

 

Entre os dias 26 de agosto e 02 de setembro de 2017:

Professor José Aguiar – Lisboa, Portugal

 Arquiteto (1981/1986, FAUP/FAUTL), Doutorado em 1999, Investigador do LNEC (1986 – 2005); é Professor Associado da FA-ULisboa, foi Vice-Presidente do Conselho Científico e é Coordenador do Mestrado Integrado em Arquitetura e Coordenador da Área Científica de Projeto de Arquitetura (eleito em Fevereiro de 2014); responsável pelo Grupo de Unidades Curriculares de Conservação, Restauro e Reabilitação; e Coordenador dessa Especialização no Curso de Doutoramento em Arquitetura da FAULisboa.

Foi Coordenador do 2º Ciclo e do Mestrado Integrado em Arquitetura da FAUTL (2009-2010; 2014-Fevereiro 2017); Co-coordenador do 6º e 7º Curso de Mestrado em Reabilitação da Arquitetura e Núcleos Urbanos, FAUTL (2005-08); Co-coordenador das Disciplinas Materiais e Técnicas Construtivas Tradicionais, do Mestrado MIPA e do Curso de Estudos Avançados CEAPA da FAUP (2003 -16); foi Professor Auxiliar Convidado na Universidade de Évora (2005); Professor Associado da U. Lusíada (1987-2005).

Coordenador de Projetos de Investigação em conservação (projetos FCT), com centenas de publicações, destacando os livros: Aguiar, J., Cor e cidade histórica. Estudos cromáticos e conservação do património. Porto: Edições FAUP, 2003 e Paiva, J.; Aguiar, J.; Pinho, A., Guia Técnico de Reabilitação Habitacional. Lisboa: LNEC-INH, 2006.

Foi Presidente do ICOMOS-Portugal (2008-2011), foi Vice-Director do JA e fundador da Revista Arquitectos, pertence à Comissão Científica de revistas em Portugal, Inglaterra, Holanda e Itália, integrou Comissões Científicas e de Especialistas da UNESCO e do ICOMOS (é membro dos comités CIVVIH; CIF, ISO20C); foi fundador da Sociedade Portuguesa de História da Construção (SPHC), da SPPC e membro da Direção da SRS-Ordem dos Arquitetos.

Para além disso, José de Aguiar possui vasta experiência em desenvolvimento de projetos de conservação e restauração, também na dimensão do edifício quanto do espaço urbano, tendo vencido vários concursos nacionais e internacionais a área.